Now Reading
Desafios e soluções para a saúde mental no trabalho

Desafios e soluções para a saúde mental no trabalho

SME Summit 2024 discutiu novas formas para o mundo corporativo saudável. Evento contou com a participação da Monja Coen

Créditos: @aline.aphotos

Carteira assinada, salário mensal garantido que assegure direitos básicos como um lar de qualidade, lazer, educação é objeto de desejo das mais de oito milhões de pessoas que se encontram desempregadas no Brasil. O outro lado da balança são trabalhadores que precisam lidar com os indicadores das funções que desempenham no ambiente corporativo e na vida.

O equilíbrio entre esses dois mundos nem sempre se dá com naturalidade e o resultado é o alto número de pedidos de afastamentos do trabalho por problemas relacionados à saúde mental. Quando associado a questão de gênero e raça, os dados são mais alarmantes e temas como racismo e preconceito se fazem presentes.

Para tratar da Saúde Mental Empresarial, o SME Summit 2024, realizado dias 6 e 7 de junho reuniu empresários, profissionais das áreas recursos humanos e saúde para discutir sobre temas que implicam na saúde mental do ambiente corporativo. Sandro Felipe, coordenador do evento ressalta a importância das conexões estabelecidas no encontro que teve como foco construir saúde mental nas empresas. “É incrível como um assunto como a Saúde Mental empresarial ainda é um tabu. A proposta do SME Summit e da Nação SME é conversar sobre o que de fato é necessário fazer para que a saúde mental entre nas empresas e nestes dois dias vimos temas extremamente importantes sendo abordados de forma leve, tranquila e profunda”, comentou ao mencionar que ao longo do ano haverá outros eventos.

Ansiedade e autocontrole, o sono e a relação com a saúde mental, tecnologia e seu impacto na saúde mental, saúde mental e o mundo contemporâneo foram alguns dos temas discutidos nas palestras e painéis do SME Summit 2024 .

O empresário e psicólogo Kito Gois apresentou a contribuição do Mindsets e comportamentos de resultado para saúde mental dos líderes. Pare ele, participar do SME Summit é uma realização pessoal e coletiva. “Por ser psicólogo negro, meu objetivo vai além da representatividade. É também entregar conteúdos efetivos para que pessoas negras como eu e também as brancas que corroboram com projetos antirracistas entendam que somos capazes de entregar resultados sólidos e consistentes a médio e longo prazo.”

Saúde mental é para todos? O questionamento deu o tom do painel onde a consultora Rose Rosendo (BPW) ao lado do jornalista Muller Nunes (TV Bahia). Mediado por Sandro Felipe que contou como o racismo o atravessou ao longo da sua trajetória profissional, os painelistas abordaram os desafios e mecanismos na busca da saúde mental do trabalhador negro no ambiente corporativo. Rosendo lembrou o quanto a economia afeta a população negra e a necessidade de lidar com o mito do ser forte, reflexo do processo escravocrata, subliminarmente lhes retira cuidados necessários que se tornam inacessíveis a muitos trabalhadores e empreendedores afrodescendentes. “É preciso que os líderes olhem para a diversidade nas suas empresas”, destacou a contadora ao enfatizar o impacto da diferença salarial destacando gênero, raça e localização.

Para Muller Nunes, o SME Summit foi um espaço fundamental para o debate sobre saúde mental e ambiente empresarial. “Se falarmos em ambiente de negócio, as empresas querem produtividade e com a saúde mental melhor seremos muito mais produtivos. O SME é um espaço para dizermos para essas pessoas que somos potências para criar soluções e propor outros modelos de negócios”, comentou o jornalista.

A abordagem filosófica sobre Saúde Mental e ambiente empresarial trazido por Mafoane Odara, Gerente de cultura, saúde e bem-estar da ZAMP chamou a atenção da psicóloga Catarina Teles. Ela ressalta a importância de discutir a saúde mental da população preta e lembra que fatores como ancestralidade, traumas e memórias carregadas ao longo das gerações refletem nas relações afetivas e profissionais. “Trabalhar com a saúde mental desconsiderando as questões raciais anula a subjetividade do sujeito preto”, comenta ao analisar os processos de trabalho do sistema capitalista. “O trabalho pode ser um fator de adoecimento quando você está em um contexto que não respeita suas características e visa apenas o capitalismo. Um evento como este é a tentativa de que se construam pontes para um trabalho que não adoece”, concluiu. A empresária Michele Pessin destacou a abordagem sistêmica da saúde mental apresentada no SME Summit 2024. Diversidade, práticas responsabilidade empresarial e social e diversidade e inclusão foram bem determinantes nesta construção. “Se de fato eu me importo em ter um mundo melhor é também uma causa minha, pois vai além da questão da cor. Estamos falando de uma sociedade e de um mundo melhor e se eu posso ser instrumento para que o mundo se torne melhor, eu também sou responsável”, comentou.

Respirando sabedoria – Olhos atentos e escuta apurada para cada palavra que a Monja Coen proferia. A voz branda e mensagem assertiva envolveu o público presente com as histórias que traduziam aspectos necessários para a manutenção da saúde física, mental, social e espiritual e a importância de um ambiente de trabalho saudável. A experiência em aprimorar sua escrita no primeiro emprego como jornalista para falar sobre o processo de aprendizado, a prática da meditação antes e após as lutas de Karatê associada a necessidade da pausa para respirar e reconectar-se, a atenção para não se corromper nos pequenos hábitos que parecem inofensivos chamando a atenção para questões éticas e tantas outras metáforas para falar sobre relações interpessoais, acolhimento, autoestima, competitividade, respeito e o propósito da vida foram trazidos com sabedoria e descontração.

Em tempos de burnout, depressão, ansiedade, uma atenção especial para a arte de dar limite às questões que adoecem. Para Coen é importante desenvolver a capacidade de humanizar as relações a partir da identificação do seu papel profissional e pessoal ao mencionar o efeito progressivo de um ambiente corporativo com profissionais adoecidos. “As pessoas ficam doentes nas empresas. As empresas ficam adoentadas como um todo e acabam colapsando”, ressaltou. Monja Coen ressaltou a capacidade que o ser humano tem de ser de ser flexível comentando que visões engessadas dificultam as relações pessoais e no ambiente de trabalho é preciso usar meios hábeis. “Os obstáculos estão para nos fortalecer, não para nos fazer desistir nem ficar triste. Não tem tristeza nesta história, tem educação e a gente educa os outros gostando deles não ficando com raiva. Como a gente transforma isso? através da acolhida, do companheirismo, da educação, sabedoria, respeito, força e determinação”, concluiu ao destacar a importância do autoconhecimento. “Reconhecer que pontos de vistas diferentes dos nossos podem enriquecer à nossa maneira de estar no mundo”, finalizou.

Durante o SME Summit 2024 foi lançada a Nação SME. O programa tem por objetivo reunir profissionais, líderes e empresários comprometidos com a promoção da saúde mental e o apoio à causas sociais. A iniciativa destaca a importância de enfrentar os desafios sociais como parte integral da promoção da saúde mental no ambiente empresarial.

Créditos: @aline.aphotos

Texto: Aní Bárbara

What's Your Reaction?
Curti
0
Descurti
0
Interessante
0
Quero
0
View Comments (0)

Leave a Reply

Your email address will not be published.

© 2020. Afro.Tv Brasil todos direitos reservados.