Now Reading
Luedji Luna e Dino D’ Santiago lançam single “Oh Bahia” no Festival Feira Preta

Luedji Luna e Dino D’ Santiago lançam single “Oh Bahia” no Festival Feira Preta

Luedji Luna e Dino D’ Santiago lançam single “Oh Bahia” no Festival Feira Preta

Luedji Luna e Dino D’Santiago

Um encontro em Londres e a conexão musical. A admiração mútua entre a musicalidade do Brasil e de Cabo Verde uniu Luedji Luna e o cantor português de origem cabo-verdiana Dino D’ Santiago que juntos lançaram no mês de abril a canção “Oh Bahia”.

O dueto transatlântico, como intitulam, foi apresentado pela primeira vez no Brasil no palco Ori, do Festival Feira Preta neste domingo (05) e traduz a parceria entre os dois cantores que entendem a importância – da produção ao alcance – da música negra, ritmos e linguagens como o Crioulo e o Português. “A música ‘Oh Bahia’ tem mexido muito comigo, tanto pela conexão quanto pela mensagem que traz. É uma mensagem de amor muito forte, onde misturamos o Olodum e Kutxi pó, Brasil e África, um lado espiritual que sai do Brasil e um lado espiritual que sai de África em um encontro que tinha que acontecer”, comenta o cantor africano.

Dino D’ Santiago encantou-se com Luedji Luna desde o primeiro encontro e define esta parceria como um “bálsamo”. Com trabalhos com artistas brasileiros como Emicida e Rincon Sapiência, o cantor conta que a música afro produzida no Brasil influencia positivamente as produções musicais africanas. “Vocês não imaginam o impacto que a cultura do Brasil e principalmente, a música tem deste lado do oceano e como reverbera em países como Cabo Verde, Angola, Moçambique, São Tomé e Guiné-Bissau e claramente Lisboa, sendo o epicentro destes pontos de encontro, cruzamo-nos muito por cá. Há muita gente a vir do Brasil e a música vai sendo transportada assim ”.

Luedji Luna revela que nas suas pesquisas sobre as sonoridades das várias Áfricas espalhadas pelo mundo, Cabo Verde sempre esteve em seu imaginário e Mayra Andrade, a saudosa Sara Tavares, Aline Frazão – artista angola que com que já fez trabalhos, reforçam a sua imersão na musicalidade produzida por artistas africanos e de descendência africana. Conhecedora do trabalho de Dino D’Santiago e feliz por compor e cantar no projeto do cantor cabo-verdiano surgiu a ideia de convidá-lo para estarem juntos no palco Festival Feira Preta. “Fazia todo o sentido a gente cantar o single que acabamos de lançar ao vivo na Feira Preta”, comenta Luna ao lembrar a relação de Dino D’Santiago com artistas do Brasil e a intimidade que vem construindo com o público brasileiro.

A cultura brasileira é grande referência para Dino D’Santiago. Por dois anos consecutivos ele participou da festa de Iemanjá celebrada dia 2 de fevereiro, em Salvador e confessa que a visita à capital baiana o fez ter a sensação de pertencimento. A reconexão com a sua ancestralidade o fez entender-se negro, uma descoberta pessoal que reproduz nas telas que pinta e pretende expor em breve no Brasil.

Primeiro afrodescendente a receber medalha cultural em Portugal, Dino defende a igualdade e o combate a todo o tipo de discriminação. Atento às questões sociais que afetam a população negra que vive em Portugal, Dino D’ Santiago leva sua arte para além dos palcos. Em 2021, o projeto cultural de sua autoria “De dentro para fora” desenvolvido com a população carcerária do Estabelecimento Prisional do Linhó (Portugal), que em sua maioria é cabo-verdiana foi reconhecido pelo governo ao lhe ser concedida a Medalha de Mérito Cultural. “É um momento mais importante para mim porque aquelas pessoas se sentem livre através da minha música”, comentou o artista ao lembrar da importância do reconhecimento dos direitos e deveres enquanto cidadãos.

Dino destaca o aumento em 400% dos casos de xenofobia sofrido por brasileiros em Portugal nos últimos meses e atribui o motivo do preconceito à imigração intelectualizada que rejeita determinados comportamentos da população portuguesa.  “Eu agradeço a imigração brasileira, por muita gente quem vem formada e traz esse lugar de fala e, com muita educação, deseduca-nos, pois fomos educados de forma “deseducada” e eu sinto que o Brasil trazendo esse orgulho de ser brasileiro e de ser seres humanos ajuda a abrir a mente dos que cá estão e continuam colonizados mentalmente ”, pontuou.

Responsável por apresentar Madonna à cultura de países africanos como Moçambique, Cabo Verde, Guiné Angola, São Tomé e Príncipe e também Dino D’ Santiago orgulhar-se em contribuir diretamente com o álbum Mad Max. Ele comemora o encontro da diva pop com as batucadeiras de Cabo Verde e toda visibilidade que este encontro proporcionou. Dino D’ Santigo planeja em breve apresentar-se no Brasil.

Texto Aní Bárbara

View Comments (0)

Leave a Reply

Your email address will not be published.

© 2020. Afro.Tv Brasil todos direitos reservados.