Now Reading
Ministério da Cultura, Itaú Unibanco e RioFilme apresentam: 17º Festival Visões Periféricas

Ministério da Cultura, Itaú Unibanco e RioFilme apresentam: 17º Festival Visões Periféricas

Festival audiovisual oferece programação de forma híbrida e gratuita para todo o Brasil

Festival Visões Periféricas é uma plataforma de difusão de filmes de curta, média e longa-metragem e desenvolvimento de projetos audiovisuais produzidos nas múltiplas periferias brasileiras. A 17ª edição do festival acontece entre os dias 20 e 26 de março de 2024 com formato presencial e online e gratuito para todo o Brasil.

Além da exibição presencial, de 20 a 24 de março, serão exibidos no site do Visões Periféricas nos dias 25 e 26 apenas as Mostras Fronteiras Imaginárias, Panorâmica e Visorama. Nestes dois dias a competição será on-line com votação do internauta. A edição deste ano acontece no Estação Net Rio, Estação Net Botafogo e CineCarioca Nova Brasília.

O festival é pioneiro, também, em privilegiar através de sua curadoria e temática filmes produzidos por realizadores que vivem nas múltiplas periferias brasileiras: sociais, territoriais e existenciais.

Pela primeira vez, em parceria com a 17ª edição do Festival Visões Periféricas, o Itaú Cultural irá entregar o Prêmio Itaú Cultural Play. A premiação será concedida a um dos 14 filmes de curtas-metragens de realizadores brasileiros independentes, que integram a mostra competitiva Fronteiras Imaginárias. O vencedor receberá um valor pelo licenciamento da exibição do filme na plataforma Itaú Cultural Play, por 24 meses.

“O Prêmio Itaú Cultural Play foi criado para promover narrativas autênticas, plurais e representativas sobre a identidade do país”, diz André Furtado, gerente de Criação e Plataformas do Itaú Cultural. “Nosso objetivo é aproximar o público de uma produção que se conecta com nosso olhar curatorial, baseado em valores como diversidade regional, de gênero e de raça, singularidade, relevância temática e qualidade artística.” 

O festival esse ano exibirá, ao todo, 57 filmes de longas-metragens, médias e de curtas-metragens, distribuídos nas Mostras: Fronteiras Imaginárias: filmes de até 30 minutos produzidos por realizadores independentes de todo o Brasil; Cinema da Gema: filmes de até 30 minutos produzidos no Estado do Rio de Janeiro; Panorâmica: filmes com duração de pelo menos 40 minutos (média e longa metragens) Visorama: filmes de até 15 minutos produzidos em projetos de formação audiovisual no Ensino Básico, Ensino Médio e/ou projetos do terceiro setor, na Mostra Homenagem e na Mostra Itaú Cultural Play, além dos longas de abertura e de encerramento do festival.

 Além das Mostras, o festival realiza o Visões Lab, que consiste num laboratório de desenvolvimento de projetos de longas de ficção que irão receber uma mentoria nas áreas de roteiro, direção e produção executiva. Os projetos dos participantes, selecionados em 2024 passarão por uma rodada de pitching com players do mercado ao final do projeto. Os projetos vencedores receberão prêmios em dinheiro e prestação de serviço.

Participarão da banca de pitching os players: Elo Studios, Canal Brasil, Cardume, Prime Box Brasil, Têm Dendê Produções e Vitrine Filmes. As sessões presenciais das Mostras competitivas no Estação Net Botafogo contarão com debates com os realizadores após a sessão.

A idealização do festival é de Marcio Blanco. A curadoria é de Quézia Lopes e Wilq Vicente (Mostras Fronteiras Imaginárias e Itaú Cultural Play),  Lukas Nascimento e Marco Antônio (Mostras Cinema da Gema e Visorama) e de Marcio Blanco, Rosa Miranda e Alberto Guarani (Mostra Panorâmica).  A iniciativa tem patrocínio do Itaú Unibanco, por meio da Lei Rouanet, RioFilme e Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, por meio da Lei Paulo Gustavo. O Festival conta com apoio do Projeto Paradiso Multiplica; Itaú Cultural Play, Estação Net e CineCarioca Nova Brasília. Este evento é associado ao Fórum dos Festivais. 

Sessão de abertura

Na sessão de abertura do festival, no dia 20 de março, quarta-feira, às 19h30, no Estação Net Botafogo (Sala 1), serão exibidos o curta “Se eu tô por aqui é por mistério” (FIC | 22″| RJ 2024), com direção de Clari Ribeiro e inédito no Rio de Janeiro, e a pré-estreia do filme “Trava Línguas – Quem Soul Eu?” (Doc. | 67’ | AL/SP | 2021 | Classificação: 18 anos), com direção de Linn da Quebrada e Rodrigo Carvalho. A cerimônia contará com a presença dos diretores do curta e do longa, além de parte do elenco do curta.

Sinopse do longa: O doc aborda como se deu o desenvolvimento do álbum Trava Línguas, lançado em 2021. O filme surge do questionamento feito por Linn da Quebrada: como cheguei até aqui? Na tentativa de compreender para onde deseja ir ou se deseja, de fato, ir. Um mergulho nos passos, nas dúvidas e dádivas que atravessam e conduzem a vida da cantora e compositora. Convite íntimo através do retorno do corpo da artista para a cidade de Viçosa, em Alagoas, onde nasceu sua mãe. Linn viaja até a cidade com o intuito de refazer as possíveis rotas de sua mãe no passado. Frente aos desejos e sensações, um exercício de colocar-se nas pegadas quase apagadas que vieram antes, e a partir disso ouvir a música que essa história conta. O filme ainda está em construção. 

Mostra Homenagem à Linn da Quebrada, homenageada do Festival neste ano 

A Mostra reúne um recorte de produções audiovisuais que contam com a participação ou o protagonismo de Linn da Quebrada no elenco, seja como personagem em documentários que tematizam o universo LGBT ou atuando em ficção. Destaca-se o documentário Bixa Travesty, de Kiko Goifman e Claudia Priscila, que conquistou o Teddy Awards de “Melhor Documentário Estrangeiro” dentro da Berlinale em 2018. A Mostra Homenagem desta edição acontece no Estação Net Botafogo (Sala 2) nos dias 21/3, às 16h, com o filme Abrindo Armário; dia 22/3, às 16h, com Corpo Elétrico (Fic. | 94’ | SP | 2017 | Direção: Marcelo Caetano | Classificação: 16 anos); dia 23/3, às 16h, com Bixa Travesty (Doc. | 75’ | SP | 2018 | Direção: Claudia Priscilla, Kiko Goifman | Classificação: 18 anos) e às 18h, com o filme Meu Corpo é Político (Doc. | 71’ | SP | 2017 | Direção: Alice Riff | Classificação: 12 anos).

Cerimônia e Sessão de premiação

Para a cerimônia e sessão de premiação do festival, que acontece no dia 24 de março, às 18h30, no Estação Net Botafogo (Sala 1), será exibido Mais um dia Zona Norte (Docuficção | 81’ | RJ | 2023 | Direção: Allan Ribeiro | Classificação: livre)

Sinopse: Em suas rotinas, trabalhadores da periferia do Rio de Janeiro têm momentos de transformação. Um instante de sonho, fantasia e fuga da realidade em contraponto a mesmice do dia-a-dia.

Os filmes das Mostras competitivas serão avaliados por um júri técnico e serão premiados com troféu, prestação de serviços na área de produção e pós-produção e bolsas de estudos em cursos de audiovisual. O filme com mais votação on-line por parte do público em cada mostra competitiva será premiado.

“O tema e conceito do Festival Visões Periféricas estão refletidos em seu próprio nome. Todos os anos a programação do Visões procura espelhar a potência audiovisual e a diversidade presentes nas periferias brasileiras a partir do olhar de realizadores que vivem o dia a dia desses territórios geográficos, sociais e existenciais. Com o seu pioneirismo e constância, o Visões Periféricas contribuiu definitivamente para tornar o audiovisual brasileiro mais plural”, declara Marcio Branco, idealizador do festival. 

Mostras competitivas:

Programação completa em www.visoesperifericas.org.br

View Comments (0)

Leave a Reply

Your email address will not be published.

© 2020. Afro.Tv Brasil todos direitos reservados.