Now Reading
80 anos de Ângela Davis e uma série de livros disponíveis sobre a principal filósofa americana do movimento negro

80 anos de Ângela Davis e uma série de livros disponíveis sobre a principal filósofa americana do movimento negro

Aos 80 anos, Ângela Davis continua ativa. Filósofa, pensadora, escritora, ativista feminina e racial, é um dos principais nomes norte-americanos na luta por direitos aos negros e às mulheres em seu país, sendo uma referência para o mundo. Sua importância é tanta que conhecê-la é reconhecer os direitos de negros, mulheres e de todas as pessoas dentro da sociedade e entender mais sobre como vivemos.

No acervo da Tocalivros, é possível encontrar todos os eBooks das obras sobre Ângela Davis, podendo ler a qualquer momento através do site ou aplicativo.

Ainda na adolescência, Ângela Davis organizou um grupo de estudos sobre questões raciais, filiou-se ao Partido dos Panteras Negras e na mesma época entrou para o Partido Comunista dos Estados Unidos. Já foi marcada na lista dos 10 criminosos mais procurados pelo FBI, foi presa e inocentada após 18 meses, em uma disputa jurídica emblemática para a discussão central do racismo norte-americano, criou um movimento de resistência, foi homenageada por John Lennon e Yoko Ono na música “Angela” e pela revista Rolling Stones com a música “Sweet Black Angel”.

Conheça as obras de Ângela Davis

Mais importante obra de Angela Davis, “Mulheres, raça e classe” traça um poderoso panorama histórico e crítico das imbricações entre a luta anticapitalista, a luta feminista, a luta antirracista e a luta antiescravagista, passando pelos dilemas contemporâneos da mulher. O livro é considerado um clássico sobre a interseccionalidade de gênero, raça e classe. A perspectiva adotada por Davis realça o mérito do livro: desloca olhares viciados sobre o tema em tela e atribui centralidade ao papel das mulheres negras na luta contra as explorações que se perpetuam no presente, reelaborando-se. O reexame operado pela escrita dessa ativista mundialmente conhecida é indispensável para a compreensão da realidade do nosso país, pois reforça a práxis do feminismo negro brasileiro.

Mulheres, raça e classe
R$ 41,00

Reúne uma ampla seleção de seus artigos, discursos e entrevistas recentes realizados em diferentes países entre 2013 e 2015, organizados pelo militante dos direitos humanos Frank Barat. Os textos trazem reflexões sobre como as lutas históricas do movimento negro e do feminismo negro nos EUA e a luta contra o apartheid na África do Sul se relacionam com os movimentos atuais pelo abolicionismo prisional e com a luta anticolonial na Palestina. Além de sua reconhecida atuação política no combate ao racismo, Davis denuncia também o sexismo, demonstrando de forma muito objetiva a relação entre a violência contra a mulher e a violência do Estado. Diante das injustiças globais, Angela Davis inspira o leitor a imaginar e construir um movimento de libertação de todos os seres humanos.

A liberdade é uma luta constante 
R$ 30,00

Compilação de discursos e artigos, apresenta um balanço de sua luta por uma mudança social progressista. Dividida em três eixos temáticos, “Sobre as mulheres e a busca por igualdade e paz”, “Sobre questões internacionais” e “Sobre educação e cultura”, a obra aborda as mudanças políticas e sociais pelas quais o mundo passou nas últimas décadas em relação à igualdade racial, sexual e econômica. Traz dados históricos e estatísticos detalhados sobre as condições das mulheres, da classe trabalhadora e da população negra nos Estados Unidos durante o governo Reagan, mostrando como a política adotada naquela administração operou para enfraquecer esses grupos sociais. Mostra, ainda, as influências das políticas norte-americanas em países da América Central, da África e do Oriente Médio. Reflexões importantes sobre a resistência representada pelos movimentos sociais e sobre o potencial de conscientização e contestação da educação e das artes, em especial a pintura, a fotografia e o blues.

Mulheres, cultura e política
R$ 36,00

Angela Davis examina com olhar crítico o conceito de encarceramento como punição. Desde os anos 1980, a construção de prisões e a taxa de encarceramento nos Estados Unidos têm crescido exponencialmente, originando uma grande inquietação quanto à proliferação, à privatização e à promessa de grandes lucros a partir do sistema carcerário. No entanto, essas prisões abrigam quantidades desproporcionais de minorias étnicas, deixando entrever o racismo entranhado no sistema. Davis expõe com clareza a situação e nos pede uma reflexão radical, em busca de alternativas aos atuais programas de reabilitação. Com esta última grande abolição da vida norte-americana, pode-se finalmente começar a desmantelar essas estruturas que condenam tantos a uma vida de miséria e sofrimento.

Estarão as prisões obsoletas?
R$ 29,90

Numa série de entrevistas dada logo após o escândalo do presídio de Abu Ghraib, Angela Y. Davis analisa como sistemas históricos de opressão tais quais a escravidão e o linchamento continuam a influenciar e solapar a democracia na atualidade. Davis se fundamenta na tese de W. E. B. Du Bois, segundo a qual, quando os negros se tornaram livres da escravidão nos Estados Unidos, a eles foram negados os direitos plenos de outros cidadãos. Somado a isso, o sistema carcerário norte-americano (que hoje conta com a maior população carcerária do mundo) atua de forma a manter o domínio e o controle sobre populações inteiras. Davis investiga a noção de “democracia da abolição” como a democracia por vir, um conjunto de relações sociais livres da opressão e da injustiça.

A democracia da abolição
R$ 29,90

© 2020. Afro.Tv Brasil todos direitos reservados.